Rectificação das tabelas do IRS não repõe poder de compra dos trabalhadores

IMG 6171 75b8cÉ URGENTE VALORIZAR OS SALÁRIOS

No seguimento da denuncia da Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública face às injustiças criadas com as novas tabelas de retenção do IRS – que levou a que alguns trabalhadores, com o aumento de 0,9%, passassem a receber menos no final do mês face a 2021 –, o Governo decidiu ajustar os escalões do imposto.

NOVA TABELAS:   Continente  Região autónoma do Açores

Todavia, a medida não apenas peca por tardia, como não resolve, de todo, o problema de fundo – a perda de poder de compra dos trabalhadores, que se degradou 10,6% desde 2010 –, assim como torna evidente a necessidade urgente de aumento salarial de 90 euros para todos os trabalhadores.

Esta rectificação das tabelas de retenção na fonte do IRS entra em vigor a partir de Março – mas sem efeitos retroactivos a Janeiro, embora haja os habituais acertos no final do ano – e visa acomodar os efeitos da actualização salarial da Administração Pública para o corrente ano, decidida pelo governo PS e que é inferior à inflação média registada em 2021 (que, segundo o INE, foi de 1,3%), o que agrava, mais uma vez, a perda de poder de compra dos trabalhadores da Administração Pública.