Trabalhadores do município de Braga exigem 35 horas para todos

braga stal5 thumb 67c21 PLENÁRIO REUNIU EM FRENTE À CÂMARA MUNICIPAL

Os trabalhadores da Câmara e Empresas Municipais de Braga realizaram ontem, 19 de Setembro, um plenário em frente à Câmara Municipal, onde exigiram o direito às 35 horas para todos os trabalhadores do município.

Na resolução aprovada no plenário, os trabalhadores «condenam veementemente a atitude de manifesto desprezo por quem trabalha, por parte do presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, que continua a negar o direito às 35 horas a centenas de trabalhadores do universo municipal».

A Câmara de Braga foi das únicas no distrito e das poucas em todo o País a ter imposto e mantido até ao fim o horário das 40 horas, alegando que «aquela era uma forma de acabar com as discriminações de horário entre trabalhadores com vínculo público e privado».

Com a entrada em vigor da lei que repôs as 35 horas, Ricardo Rio optou por não aplicar o princípio do tratamento mais favorável, mantendo os cerca de 400 trabalhadores que laboram com contrato de regime privado a praticar as 40 horas semanais.

Ficou assim à vista de todos a má-fé de Ricardo Rio. Obrigado por lei a repor as 35 horas aos trabalhadores com contrato em funções públicas, não hesitou em restabelecer as discriminações que antes dizia querer eliminar.

Estas reivindicações já tinham sido reafirmadas na greve realizada no passado dia 29 de Julho, exigindo além das 35 horas para todos, também a resolução das situações de trabalho precário, com a passagem de trabalhadores para vínculo efectivo e a inserção em carreiras profissionais e ainda a melhoria das condições de trabalho.

Na resolução, mandatam ainda o STAL para «convocar todas as acções que sejam necessárias, incluindo vigílias e concentrações, recolha de abaixo-assinado, comunicados às população e outras formas de luta que se revelem adequadas».

Ver resolução aprovada